Será que a criptomoeda do Facebook vai sair do papel?

Stripe, Mastercard, Visa e eBay disseram que estavam todos saindo de Libra, uma semana depois que o PayPal se tornou a primeira empresa a desistir.


Parece que as coisas não estão tão boas para a Facebook! Nos últimos meses viemos acompanhando os esforços da empresa para colocar em prática a sua criptomoeda, a Libra, e agora a Facebook está enfrentando o êxodo dos parceiros de projeto. Stripe, Mastercard, Visa e eBay disseram que estavam todos saindo de Libra, uma semana depois que o PayPal se tornou a primeira empresa a desistir. Enquanto continuam a apoiar a ideia de Libra, disseram as empresas, elas não farão mais parte da coalizão que está apoiando o esforço. 


"O eBay decidiu não avançar como membro fundador", disse um porta-voz da empresa. A Mastercard disse que estava focada em sua própria estratégia "e em nossos próprios esforços significativos para permitir a inclusão financeira em todo o mundo", e a Visa disse que sua participação futura dependeria, em parte, da "capacidade de Libra de satisfazer plenamente todas as expectativas regulatórias necessárias". Um porta-voz da Stripe disse: "Seguiremos de perto seu progresso e permaneceremos abertos a trabalhar com a Associação Libra posteriormente." Também na sexta-feira, os reguladores federais obtiveram uma ordem de restrição temporária contra a empresa de mensagens criptografadas Telegram, movendo-se para encerrar sua criptomoeda Gram. Os desenvolvimentos gêmeos ilustraram a fluidez contínua em torno das moedas digitais, que não são regulamentadas e estão sendo examinadas de perto para ver como elas podem afetar os sistemas financeiros estabelecidos.


Simon Taylor, co-fundador da 11: FS, uma empresa de consultoria que assessora empresas na adoção de blockchain, disse que as dificuldades do Facebook e do Telegram "mostram o quão importante é ter uma posição clara com os reguladores antes de serem lançados em grande escala".


E agora, será que a Libra vai sair do papel? 


Autor: Monitor Tecnologia


© Copyright 2019 Monitor. Todos os direitos reservados.